quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Paradoxo

Como disse no ultimo post sou fã das novas tecnologias.

Mas o que acontece quando eu decidir construir uma cabana secreta, no meio da floresta, onde ninguem me possa encontrar?


Vai aparecer no Google earth para toda a gente ver???

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Filipa vs. novas tecnologias

Pois é, pus-me a alterar todas as definições (e não formam só as de idioma) para português do meu telefone inglês, depois vou para usar google maps, e não dava sequer para pesquisar locais.
Levou-me cerca de uma manhã para perceber o que tinha acontecido.
Normalmente isso não seria problema, se eu não estivesse à procura de casa numa cidade que não conheço e tivesse alguém à minha espera para me mostrar a casa.

Mas isto tudo aconteceu porque eu, rendi-me às novas tecnologias e pronto, google it e estou lá.
Mas como quem tem boca vai a Roma, lá cheguei a horinhas.


Talvez deva começar também a imprimir mapas antes de sair de casa.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Sorte


Dizem que ela se procura...
Ou então que é apenas o destino...
Há quem tente mostrar que funciona segundo a lei da atracção...
Outras vezes trata-se de probabilidades maiores ou menores de algo acontecer...
Há pessoas que dizem ter mais e outras que dizem ter menos.

Não vou tentar explicar segundo nenhuma das teorias anteriores, mas eu considero-me uma sortuda.


Não se tratará em ver apenas as coisas boas da vida ou apenas o lado bom das coisas menos boas?


Mudanças 1

Já lá vão 8 mesinhos, e uma mudança que se aproxima.
Pois é, apresento-vos a mais recente enfermeira de A&E a trabalhar a 30 minutos de metro do centro de Londres.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Gosto cada vez mais de Londres porque....

Além do facto de ser uma grande cidade, muito movimentada e ao mesmo tempo se poderem encontrar locais de calma e tranquilidade, onde não parece de todo que estamos no meio da grande cidade, como sendo os vários parques da cidade, e ter uma rede de transportes brutal;

É uma cidade de uma riqueza multi-cultural, encontra-se gente de todo o mundo (literalmente) o que faz com que de cada vez que lá vou acabe sempre por conhecer mais estrangeiros do que ingleses.
Há sempre algo para fazer, para todos os gostos, todos os dias da semana.
É cidade que nunca dorme, está sempre em movimento, a qualquer hora do dia.
Acontecem coisas que só em sonhos, como podem ver no meu post anterior <3.
Grandes bandas passam todas por aqui...

E ainda estou em fase de descoberta....

My friday night smile

Sexta feira passada fui assistir uns concertos, tomar uns copos e conversar um bocadinho com o Zach, sim, Zach Condon, aquele que canta Sunday Smile e Nantes.

Be jealous

sábado, 17 de setembro de 2011

Não percebi

Comprei um bilhete de comboio de Londres para Northampton em primeira classe porque ficou umas 10 libras mais barato do que se fosse em segunda classe.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Máquina do tempo


Senão como explicam eu viver em Inglaterra, e cada vez que volto as coisas, de certa forma, continuam iguais. As chatices com os meus pais continuam a acontecer pelos mesmos motivos como se eu continuasse a viver em casa e não a viver sozinha e a ser independente desde à 7 meses, as rotinas são exactamente as mesmas. Ao chegar e reencontrar os amigos é sempre como se nunca nos tivessemos separados, continuamos a fazer as mesmas parvoíces de sempre, a combinar os mesmos cafés de sempre, a chorar no ombro como sempre que precisamos, a ser compreendidos, aceites e apoiados independentemente das nossas escolhas, a comunicar apenas com um simples olhar e a ser entendidos do outro lado.
São estas e outras coisas que fazem esta vida tão fantástica.